XPFT - Índice XP de Fundos Imobiliários de Tijolo

/ índice FIIs

XPFT

O XPFT é um índice de fundos imobiliários criado pela XP, tem como objetivo acompanhar a desempenho médio das cotações dos FIIs denominados de fundos de “tijolo” negociados na B3.

Inclui-se como FIIs de tijolo, os fundos que investem em empreendimentos imobiliários como galpões logístico, lajes corporativas, agências bancárias, shopping centers, educacional, hospitais, entre outros ativos físicos.

O XPFT é um índice de retorno total (total return), ou seja, ele procura refletir as variações nos preços mais o valor recebido dos dividendos, assim como o XPFI e IFIX.

Regras para compor o XPFT

O índice é composto por 20 fundos imobiliários de “tijolo” seguindo os seguintes critérios:

  • A composição do índice será revisada a cada 4 meses, na primeira segunda-feira útil dos meses de janeiro, maio e setembro.
  • O fundo precisa ser classificado como do segmento de tijolo, ou seja, investir em empreendimentos imobiliários como galpões logísticos, lajes corporativas, agências bancárias, shopping centers, entre outros ativos físicos.
  • Considera-se os 20 fundos imobiliários de “tijolo” com maior índice de negociabilidade durante o período de vigência de 3 carteiras anteriores (últimos doze meses). Para mais detalhes, acesse o anexo I.
  • O fundo imobiliário precisa possuir presença de pregão de no mínimo 95% no período de vigência das três carteiras anteriores (últimos doze meses).
  • Não ser classificada como “Penny Stock”, ativos cujo valor médio da cota durante a vigência da carteira (últimos doze meses) é inferior R$1,00/cota.
  • Um ativo que foi alvo de oferta pública recente (seja IPO ou follow-on) durante o período de vigência das 3 carteiras anteriores ao rebalanceamento do índice será elegível, mesmo sem estar listado todo o período, desde que:
    1. A oferta pública de distribuição de cotas tenha sido realizada antes do rebalanceamento anterior;
    2. Possua ao menos 95% de presença em pregão.

Critério de Ponderação:

Os ativos que compõem o índice são ponderados pelo valor de mercado dos fundos imobiliários.

Cada fundo imobiliário possui um limite superior de participação de 10% na inclusão ou reavaliações periódicas na carteira teórica que compõem o índice.

Critério de negociabilidade

É um critério que divide o número de negócio de um FII pelo número de negócios do mercado total + volume de um FII dividido pelo volume do mercado total, tudo isso dividido pelo número de dias.

O objetivo dessa conta matemática é ponderar os fundos imobiliários pela sua liquidez no mercado secundário negociado nos pregões diários da Bolsa de Valores.

Para um fundo imobiliários possuir alto índice de negociabilidade é necessário que sua participação seja alta tanto no quesito volume de negociação (em valores monetários), quanto em número de negócios, o que pondera eventos especiais como block trades, leilões, emissão de novas cotas no mercado, entre outros.

Os valores de índice de negociabilidade de cada ativo são apurados em base diária e são considerados o período de vigência das últimas 3 carteiras para o calculo (últimos doze meses).

Veja mais sobre o fundo no site da XP: https://conteudos.xpi.com.br/fundos-imobiliarios/relatorios/indices-de-fundos-imobiliarios-xpfi-xpft-xpfp/

Composição atual

Ticker Segmento ADTV (R$ mil) Participação
KNRI11 Hibrido 2.784 10,00%
HGLG11 Ativos Logísticos 4.911 8,99%
XPLG11 Ativos Logísticos 4.597 8,81%
BRCR11 Corporativo 2.024 6,38%
HGRU11 Educacional 3.685 6,32%
HGBS11 Shopping 1.207 5,72%
JSRE11 Hibrido 2.019 5,55%
XPML11 Shopping 3.060 5,41%
BBPO11 Agências 1.915 5,19%
VILG11 Ativos Logísticos 3.221 4,96%
HGRE11 Corporativo 1.787 4,57%
VISC11 Shopping 2.060 4,48%
BTLG11 Ativos Logísticos 3.714 4,20%
HSML11 Shopping 1.815 3,98%
LVBI11 Ativos Logísticos 1.841 3,70%
TGAR11 Desenvolvimento 2.712 2,91%
GGRC11 Ativos Logísticos 1.572 2,66%
VINO11 Corporativo 1.491 2,17%
RBRP11 Corporativo 1.973 2,12%
RECT11 Hibrido 1.644 1,87%

Next Post Previous Post